“A palavra final será minha”, diz André Fernandes sobre candidatura em Fortaleza

Deputado estadual mais votado do Ceará, André Fernandes disse que a decisão final sobre a candidatura do PSL em Fortaleza será dele.

“(A executiva) de Fortaleza está sob meu comando. A palavra final será minha”, declarou nesta quarta-feira ao Blog Política.

Presidente da sigla na Capital, o parlamentar tem divergido publicamente do correligionário Heitor Freire, deputado federal, que defende uma composição com o Pros encabeçada pelo também federal Capitão Wagner na disputa pelo Paço em 2020.

Em conversa com O POVO há duas semanas, Freire afirmou que respeitava a posição de André Fernandes, que deseja emplacar candidatura própria do PSL em Fortaleza, mas que essa bandeira não representava a opinião nem dele nem do partido no Ceará.

O episódio mais recente de colisão entre os dois dirigentes do partido de Jair Bolsonaro se deu no começo desta semana, quando, depois de criticado duramente por Fernandes após haver se reunido com o prefeito de Caucaia, Naumi Amorim (PSD), Freire destituiu toda a comissão provisória da legenda no município da região metropolitana.

Na cidade, o partido era comandado pelo ex-candidato a deputado estadual pelo PSL Julio Rocha Aquino Junior. Conhecido como Juninho, ele obteve 5.603 votos ano passado– 399 deles em Caucaia e 4.509 em Fortaleza.

Próximo de Amorim, Juninho e toda a direção pesselista foram apeados da presidência da legenda no município vizinho.

Ao Blog Política, André Fernandes expôs as razões de seu incômodo com os laços entre Amorim e Heitor Freire.

“O deputado acredita numa política que precisa de diálogo (com todos os partidos). Ele defende isso. Eu, particularmente, não concordo”, afirmou. “Eu luto contra a velha política, e discordo disso. Eu sou 100% contra a proximidade com o prefeito (Amorim).”

Em seguida, Fernandes disse que há rumores sobre denúncias que atingem o gestor de Caucaia e prometeu que, “se existir negociata no PSL”, irá denunciar. “Meu partido é o Brasil”, respondeu.

Fonte: O POVO Online