Assassinos de Marielle usaram arma capaz de disparar 800 tiros por minuto

Após reconstituição do crime que vitimou a vereadora Marielle Franco (Psol) e o motorista Anderson Gomes, realizada entre a noite da última quinta-feira e madrugada dessa sexta-feira, 11, chegou-se à conclusão de que a arma utilizada para os assassinatos foi uma submetralhadora MP5. Segundo a polícia, o armamento é capaz de disparar 800 tiros por minuto. A informação é do portal G1.

No processo, foram utilizadas armas e munição real. Os investigadores dispararam contra um carro. Sirene emitia som momentos antes dos disparos. Na presença das testemunhas, foram usados diferentes tipos de armamentos para que elas identificassem o som que ouviram.
Entre as quatro testemunhas convocadas pela polícia, estava a assessora parlamentar de Marielle Franco, que sobreviveu ao assassinato. Ela se mudou para o exterior logo depois do crime.
Outra conclusão surgida após  a reconstituição do crime foi de que apenas uma rajada de tiros foi disparada para matar os dois.
Origem do armamento
A Divisão de Homicídios apura se a arma foi desviada de algum paiol da força de segurança do Estado do Rio de Janeiro. Submetralhadoras parecidas são utilizadas pelos polícias Civil e Militar.
As munições são de um lote adquirido pela Polícia Federal em 2006. Materiais do mesmo lote foram encontradas em locais de crimes em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Nas ocasiões, confrontos envolviam policiais e traficantes.