Ataque de abelhas na Messejana é o terceiro caso registrado em Fortaleza em menos de um mês

Na manhã de terça-feira, 24, no bairro Messejana, ocorreu o terceiro ataque de abelhas em menos de um mês em Fortaleza. O caso ocorreu no centro do bairro, em uma residência na rua Pergentino Maia.

Três pessoas, sendo uma mulher e dois adolescentes, precisaram ser resgatados por uma equipe de salvamento do Corpo de Bombeiros Militares do Ceará. A equipe foi acionada pelo quartel do bairro após relato dos moradores que se encontravam presos em casa em decorrência do enxame de abelhas.

Os animais adentraram a residência e passaram a atacar os moradores, que ficaram reféns no local, sem conseguir sair do imóvel ou afastar as abelhas. De acordo com os Bombeiros, os três estavam trancados dentro de um cômodo, tentando se proteger.

Os militares que atuaram no resgate foram identificados como: primeiro tenente Athan, subtenente Gilson, subtenente Farles, cabo Wandergleidson e soldado Sthepheson, no comando da viatura de Auto Bomba Tanque e Salvamento 05.

O primeiro tenente Athan pontuou que a operação foi um sucesso e que ao adentrarem na residência perceberam a intensidade do ataque das abelhas. “O resgate foi realizado vestindo roupas de apicultor nas vítimas para que estas, que se encontravam trancadas em um quarto, pudessem sair protegidas”, declarou.

Apesar do susto, as três pessoas envolvidas no ocorrido não necessitaram de atendimento médico. O local foi isolado ainda na manhã desta terça-feira, de modo que a vizinhança pudesse tomar conhecimento do ocorrido e se proteger dos animais.

De acordo com relatório dos Bombeiros, repassados para a Secretaria de Segurança Pública (SSPDS), foram fornecidas orientações para a proprietária do imóvel com intuito de garantir que o enxame não retorne ao local.

Outros ataques

O primeiro ataque nos últimos 30 dias ocorreu no Centro de Fortaleza, na Praça do Ferreira, no dia 31 de outubro, quando um bombeiro precisou ser hospitalizado diante da quantidade de ferroadas que sofreu ao atender a ocorrência e ajudar os passantes pela praça, que também eram atacados pelos insetos.

O segundo caso ocorreu cerca de uma semana e meia depois, no dia 10 de novembro, em uma barraca de praia na avenida Beira Mar, ponto turístico da Cidade. O local precisou ser evacuado pelos Bombeiros, mas ninguém ficou ferido.

FONTE: O POVO ONLINE