Brasil é denunciado na ONU por 100 entidades pela morte da vereadora Marielle

A Organização das Nações Unidas (ONU) recebeu denúncia de mais de 100 ONGs e entidades internacionais contra o Brasil no caso da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL). Durante o Conselho de Direitos Humanos da ONU, o grupo interveio, alegando que muitos que falam a verdade no País enfrentam violência e estigmatização sem precedentes. A informação é do Estadão.
Marielle. (Foto:Mario Vasconcellos/AFP)
Na lista de entidades que apoiam a declaração estão Conectas, Organização Mundial contra a Tortura, Front Line Defenders, Friends of the Earth, Conselho Indígena Missionário, bem como entidades africanas e latino americanas.
Em texto lido pela estudante de mestrado brasileira, Mariana Tavares, o bloco solicita ao governo brasileiro uma investigação imediata, imparcial e independente e que todos os responsáveis materiais e intelectuais sejam presos. Também foi pedido para que as autoridades deem proteção aos sobreviventes do assassinato, a exemplo de testemunhas-chave da atrocidade.
O grupo destacou as circunstâncias em que o assassinato à política ocorreu, numa “intervenção federal altamente militarizada no Estado do Rio, decretada pelo presidente, contrários à vontade das comunidades locais”.
Em resposta, o governo brasileiro declarou que está comprometido em investigar o caso e responsabilizar os autores diante da Justiça. O Itamaraty declarou que o assassinato ainda é um atentado contra a democracia e estado de direito.
O entendimento da ONU é de que o caso reflete a situação sombria pela qual passam os defensores dos direitos humanos no Brasil. A organização informou ainda que continua a monitorar a evolução do caso.
Redação O POVO Online