Caixa d’água do Centro de Fortaleza é atingida por incêndio

VÍDEO; https://youtu.be/Phqf8h3n0aI

Moradores de rua colocaram fogo em um colchão e causaram um incêndio em uma das caixas d’água que ficam na rua Antônio Pompeu, no Centro de Fortaleza, próximo à Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), no fim da tarde desta segunda-feira, 11. Ninguém se feriu.

O fogo, que foi controlado pelo Corpo de Bombeiros e considerado de pequena proporção, teria sido em represália a uma outra moradora de rua. O incêndio atingiu alguns pedaços de madeiras da caixa d’água e roupas que seriam da moradora.

Segundo testemunhas, a mulher teria saído há poucos dias do presídio e estaria utilizando tornozeleira eletrônica. Ela teria sido presa suspeita de matar o ex-companheiro. Por esse motivo, os outros moradores de rua não aceitavam ela no local.

Depois que a moradora saiu, o colchão foi incendiado e o fogo se espalhou para as roupas dela e madeiras do equipamento. Ainda há denúncia de que a mulher jogou a tornozeleira na caixa d’água. Os moradores relataram à reportagem que não queriam a mulher lá.

FOTO: Júlio Caesar

De acordo com o capitão Chaves, do Corpo de Bombeiros, a guarnição foi acionada por volta das 16h18min. Os bombeiros apagaram o fogo e realizaram o rescaldo.

A história das caixas d’água

As caixas d’água pertencem à Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). 
Apesar de já existirem em 1912, as caixas d’água só começaram a ser utilizadas em 1926, segundo o pesquisador Miguel Ângelo Azevedo, o Nirez, em entrevista ao O POVO em 2012.

À época, Nirez defendia o tombamento e a revitalização. “(As caixas d’água) devem ser preservadas porque fazem parte da paisagem de nossa cidade e são um marco histórico”, assinalou o pesquisador.

Até 1967, caixas d’água eram as responsáveis pelo abastecimento de água da Cidade.

Redação O POVO Online