Camilo justifica investimento em tornozeleira eletrônica

Governador Camilo Santana (PT)

O governador Camilo Santana (PT) rebateu as críticas quanto ao investimento em tornozeleiras eletrônicas no Ceará. Segundo ele, o uso do aparelho parte de uma determinação judicial e o Estado investe pensando na segurança da população. “Tem gente que fala besteira e não sabe nem do que está falando. Precisava estudar pra saber o que significa isso”, disse Camilo. Ele também afirmou que a tornozeleira passará a ser cobrada aos criminosos condenados ao uso.

As declarações foram dadas em uma transmissão ao vivo nas redes sociais nesta terça-feira, 16. Camilo respondia perguntas da população quando foi confrontado por um dos usuários, que questionou o objetivo do governo em investir R$ 7 milhões em tornozeleiras eletrônicas. Sem contestar os valores apontados pelo cidadão, o governador explicou como funciona a determinação do uso do aparelho

“Quem diz o tipo de pena para o criminoso não é o Estado, é a Justiça. Se ele deve ficar em regime fechado, ele vai para o presídio e fica lá. Se é no regime semi aberto, então ele, por exemplo, dorme no presídio e passa o dia fora, nas ruas. O Estado, para garantir maior segurança para a população, bota uma tornozeleira na canela dele e o monitora”, explicou Camilo Santana.

O chefe do executivo estadual enfatizou que a decisão parte da Justiça e não do Estado. Ele rebateu críticas ao uso das tornozeleiras, afirmando que é uma forma de segurança para garantir a tranquilidade da população cearense. “Tem gente que não entende, tem gente que fala besteira e não sabe nem do que está falando. Precisava estudar pra saber o que significa isso. Isso é determinado por lei e o Estado tem feito esse investimento”, justificou.

Camilo também citou a iniciativa do secretário da Administração Penitenciária (SAP) que pretende implementar lei para cobrar dos detentos cearenses o uso da tornozeleira. ”O Mauro (Albuquerque) criou essa lei quando foi secretário no Rio Grande do Norte. A mesma lei está sendo elaborada (no Ceará) e vai ser aprovada pela Assembleia (Legislativa). Quem puder pagar pela tornozeleira, vai pagar”, relatou Camilo.

Segundo ele, o Estado tem um compromisso de proteger “o cidadão e a cidadã de bem” e, ao utilizar a tornozeleira eletrônica, cumpre uma determinação judicial feita em todos os estados da Federação. Ao fim da explicação, Camilo agradeceu ao questionamento: “Foi boa a sua pergunta, há muita polêmica sobre isso”

Fonte: O POVO Online