Campanha de vacinação contra influenza é prorrogada até 15 de junho

CEARÁ já aplicou 2.008.631 doses. Há 53 mortes por influenza confirmadas no Estado MAURI MELO

Prevista inicialmente para ser encerrada amanhã, a Campanha Nacional de Vacinação contra influenza foi prorrogada até o dia 15 de junho. A mudança, segundo o Ministério da Saúde (MS), se deve aos impactos da paralisação dos caminhoneiros no transporte público e nos serviços de saúde em todo o Brasil.

O Ceará, com 2.008.631 de doses aplicadas, tem 87% do público-alvo imunizado. A meta preconizada para alcance dos grupos prioritários é de 90%. O Estado é o primeiro do Nordeste e o terceiro do País com maior cobertura vacinal (ver quadro).

Apesar de os dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (Sipni) indicarem 1.663.392 doses aplicadas, de acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) são mais de 2 milhões de pessoas vacinadas, incluindo aquelas privadas de liberdade e as que têm doenças crônicas não transmissíveis. Esses grupos não são incluídos na meta, explica Ana Vilma Leite, coordenadora estadual de imunização. No primeiro caso, devido à rotatividade de pessoas; no segundo, pela dificuldade em se “isolar os indivíduos”.

 

Segundo ela, o Ceará tem 105 municípios que alcançaram a meta, 75 estão entre 70% e abaixo de 90%, e três estão abaixo de 70%. “Já temos 46 municípios com cobertura vacinal com homogeneidade, quando o total é alcançado tanto na totalidade quando pelos grupos prioritários”, destaca.

 

De acordo com a coordenadora, as clínicas particulares passam para as secretarias o número de doses de imunização aplicadas. “É importante que o município busque a informação para saber a quantidade dos grupos prioritários que tomaram a vacina. Cada município que é livre para trabalhar, acredito que estejam fazendo”. A expectativa é continuar incentivando as cidades que ainda não estão com homogeneidade na cobertura vacinal, estabelecendo estratégias para alcançar os grupos prioritários com baixo índice de imunização.

A coordenadora estadual detalha os números da cobertura vacinal por público-alvo no Ceará. O grupo de crianças de 6 meses a 5 anos é o com menor índice (76, 53%), enquanto o maior percentual (111,36%) está com os professores das redes pública e privada (ver quadro).

Conforme recomendação do Ministério da Saúde, caso haja disponibilidade de vacinas após o fim da campanha, a imunização poderá ser ampliada para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos. No entanto, essa ampliação não deve ocorrer no Ceará.

“Estamos alcançando a meta de cobertura vacinal e provavelmente não vai sobrar vacina para que outros grupos sejam vacinados”, justifica Ana Vilma.

Ainda de acordo com o MS, 100% das vacinas, o que corresponde a 60 milhões de doses, já foram distribuídas aos estados. A meta nacional é vacinar 54,4 milhões de pessoas até o dia 15 de junho.

A vacina protege contra três vírus, dois do tipo A, o H1N1 e o H3N2, e o influenza B. Conforme último boletim do Ministério da Saúde, até 26 de maio, foram registrados 2.088 casos de influenza em todo o País, com 335 óbitos. Do total, 1.262 casos e 218 óbitos foram por H1N1. Em relação ao H3N2, foram 412 casos e 58 óbitos. Além de 219 registros de influenza B, com 27 óbitos e os outros 195 de influenza A não subtipado, com 32 óbitos.

O boletim epidemiológico divulgado pela Sesa na última sexta-feira apontou 53 óbitos por influenza confirmados no Ceará este ano e oito em investigação. Havia 337 casos registrados no Estado e 156 em análise.

SERVIÇO

Vacina contra influenza

Onde: todos os postos de saúde de Fortaleza (veja a lista em bit.ly/postosdesaudefortaleza)

Quando: de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 18h30min

Fonte: O POVO Online