Caucaia é última do Brasil em ranking de cidades inteligentes

Serviços como estacionamento zona azul, aluguel de bicicletas, bilhetes eletrônicos e divulgação de horários no transportes público são considerados na pesquisaServiços como estacionamento zona azul, aluguel de bicicletas, bilhetes eletrônicos e divulgação de horários no transportes público são considerados na pesquisa

Fortaleza e Caucaia, na Região Metropolitana, perderam posições no Relatório de Serviços de Cidades Inteligentes (RSCI). Realizado pela consultoria Teleco, a pesquisa montou ranking com as 100 maiores cidades brasileiras. A Capital foi a 27ª, enquanto Caucaia foi a centésima e última colocada. Entre os pontos pelo cidadão na área de mobilidade urbana, educação e saúde, meio ambiente e serviços administrativos governamentais.

Os indicadores analisados são inseridos em categorias. Serviços como estacionamento zona azul, aluguel de bicicletas, bilhetes eletrônicos e divulgação de horários no transportes público são considerados. Até consulta de processos administrativos e alertas da Defesa Civil, por exemplo, são analisados.

A dificuldade de implementação desses serviços nas cidades cearenses foi mais difícil no último ano. No levantamento anterior, em 2018, a Capital aparecia na 10ª posição, perdendo 17 posições em 12 meses. Já Caucaia ocupava a 99ª vaga da lista, caindo uma colocação.

O diretor de Infraestrutura do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil), Ricardo Dieckmann, aponta que o primeiro passo para ter uma cidade inteligente é oferecer uma boa cobertura de internet.

Ele conta que a burocracia, os prazos, a onerosidade e as restrições que as leis oferecem são problemas recorrentes no País, mas que, com a Lei das Antenas, de 2015, o cenário vem mudando. A norma dá orientações aos municípios de como promover parâmetros para diminuir a dificuldade das empresas em instalar os equipamentos.

A lei regula o prazo para emitir uma licença em 60 dias, prazo que era maior. Segundo Ricardo, existem capitais que chegam a demorar dois anos. “Se a prefeitura não liberar a instalação, as empresas não têm muito o que fazer”, observa.

O secretário de Planejamento Urbano e Ambiental de Caucaia, Daniel Cavalcante, comenta que a cidade trabalha na ampliação da cobertura de rede nos pontos de maior densidade populacional, com parcerias desenvolvidas, e, com a aprovação do novo Plano Diretor do município no início deste ano, a disrupção dos serviços públicos passou a ser tema destacado.

Daniel Cavalcante acredita que, até a próxima pesquisa, Caucaia apareça melhor no ranking após a consolidação das medidas adotadas desde o começo da gestão. “Uma das primeiras coisas que o município fez para se tornar uma cidade inteligente foi atualizar o Plano Diretor, que era de 2001, com todos os novos parâmetros urbanísticos, voltados para o aumento habitacional, empresarial e de desenvolvimento urbano inteligente”, afirma.

Já a secretária municipal do Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Águeda Muniz, diz que Fortaleza avançou muito no quesito desburocratização com o investimento em disrupção dos serviços nos últimos anos. No sistema, foi desenvolvida uma melhor comunicação com a população, por meio do Fortaleza Online, programa digital da Cidade. “A cidade inteligente é aquela que é boa para o seu cidadão. Não adianta ter tecnologia sem gestão eficiente”, destaca.

Em Fortaleza, qualquer alvará sai em meia hora e os documentos de emissão gratuita são liberados de forma imediata. Segundo Águeda, o sistema é inteligente e que confia no que é passado pelo cidadão de forma crítica, cobrando responsabilidade sobre o conteúdo. A fiscalização é sempre posterior às emissões. A meta agora é avançar alguns pontos para ficar entre as melhores

A titular da Seuma ainda diz que a queda no ranking não preocupa, uma vez que, no último ano, o Município vem se consolidando no Ranking Cidades Amigas da Internet, subindo mais de 70 posições. Nova ampliação do projeto de cidade inteligente já está em andamento, saltando dos atuais 38 serviços para, até o fim de 2019, mais de 50 ofertas. Em 2020, acontecerá ainda a expansão do Fortaleza Online para o Fortaleza Digital, visando automatizar todos os processos de serviços públicos em diversos setores.

| LEIA TAMBÉM | Serviços de internet avançam 79% em Fortaleza

INDICADORES

MOBILIDADE URBANA

Estacionamento (Zona Azul e Sensor de vagas)

Bicicletas (Alguel)

Controle de trânsito (Orientação usuário)

Transporte público (bilhete eletrônico e horários)

E-GOV

Consulta de processos administrativos

Emissão de licenças, certidões, permissões e outros

Emissão de boletos de tributos ou outros meios de pagamentos

Realizar agendamentos de atendimentos, serviços e outros

Serviços de informações de turismo, cultura, georreferenciamento e outros

EDUCAÇÃO/SAÚDE

Agendamento de consultas, exame e internação

Matrícula online

Acesso remoto a tarefas e conteúdos educacionais

MEIO AMBIENTE

Medidores inteligentes de energia (consulta pelo usuário)

Coleta de lixo

Informações pelo usuário (qualidade do ar, temperatura, ruído, chuva, nível de ruído, nível dos rios)

Defesa Civil (alertas)

GESTÃO MUNICIPAL

Semáforos inteligentes

Vigilância (câmeras)

Bases de informação (segurança)

Monitoramento de bueiros

Prontuário médico

Iluminação pública

Limpeza pública

FONTE: O POVO ONLINE