Centro Integrado de Inteligência não tem data para funcionar no Ceará

No final do discurso de posse à frente da Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará, a delegada Vanessa Gonçalves Leite de Souza, 38, agradeceu a Deus pelo cargo mais importante de sua vida: “O de ser mãe”. A carioca, apenas de nascimento e de pais cearenses, desde ontem é oficialmente a mulher que ocupa o comando mais influente na esfera policial do Estado. De 1965 para cá, ano da fundação da superintendência, a cadeira nunca havia saído do domínio de delegados.

Não é que a Polícia Federal (PF) seja um organismo “machista”, atalha Vanessa Gonçalves. “Ela é um instituição masculina porque a maior parte dos servidores é homem. Pela própria natureza do serviço, mas homens e mulheres desempenham as mesmas funções aqui”, diz. “Eu nunca senti (o machismo), mas também nunca me vitimizei. As pessoas me respeitam pele firmeza de minhas posturas ”, completa a delegada que está nos quadros da PF desde 2003 e substituiu o delegado Delano Cerqueira Bunn.

Vanessa Gonçalves assume a Polícia Federal no momento em que a instituição passou a ser uma das tábuas de salvação da segurança pública do Ceará. Não é função direta dos federais. Mas não foi à toa que o governador do Estado, Camilo Santana (PT), foi à posse da nova superintendente reforçar a necessidade da “parceria, principalmente no combate às organizações criminosas e ao tráfico (de drogas e armas)”.

Aproveitando a presença de Rogério Galloro, diretor-geral da PF, Camilo Santana pediu a ele (e à superintendente) mais rapidez na implantação, no Ceará, do primeiro Centro Integrado de Inteligência e Controle para o Combate ao Crime Organizado do Brasil. O órgão foi prometido em março pelo ministro Raul Julgman, da Segurança Pública, após o pedido de socorro do governador, face à escalada dos homicídios em 2018, com chacinas que abalaram, mais ainda, a paz pública em Fortaleza.

Mas se a segurança pública no Ceará depender da espera do funcionamento do Centro Integrado de Inteligência, coordenado pelo PF, as coisas podem piorar. Rogério Galloro, durante a posse de Vanessa Gonçalves, empurrou para “até o final do ano” a instalação de uma das apostas de Camilo Santana para reverter o cenário de insegurança no território cearense.

Vanessa Gonçalves em um discurso que começou protocolar, mas terminou emocionante para ela, familiares e uma audiência que lotou o auditório da PF, não tocou no assunto, pois falou antes de Camilo e Galloro. Porém não se furtou em colocar como um dos desafios de sua gestão o “fortalecimento da investigação para repressão às facções criminosas” dentro das atribuições da Polícia Federal.

A delegada, formada em Direito pela Universidade Federal do Ceará e ex-oficiala de Ligação da Polícia Federal na Organização Internacional de Polícia Criminal (OIPC/Interpol), sutilmente cobrou do governador e do diretor-geral da PF mais estrutura para a corporação Federal no Ceará. No rol das tarefas dos federais houve um aumento de demanda no controle migratório com a implantação do hub aéreo do Ceará.

No aeroporto Pinto Martins, com o implemento, em mais de seis vezes, da quantidade de voos vindos da Europa, não é mais possível trabalhar sem e-gates (portões eletrônicos para checagem de passaportes). No mínimo, deveriam existir seis equipamentos.

“É importante ter os equipamentos. O cidadão comum que chega, se ele não tem mandado de prisão ou outro problema, faz a leitura do passaporte e segue. Otimiza o trabalho e a fiscalização”, explica.

Além do problema no Pinto Martins, a Polícia Federal também prospecta dificuldades no controle do aeroporto de Jericoacoara. Em outubro deste ano, ele deverá ser internacionalizado.

BASTIDORES DA POSSE NA PF

AOS PAIS

Na primeira fila do auditório, o casal Carlos Alberto, 64, e Liana Mara, 62, foi reverenciado pela superintendente da PF. Vanessa Gonçalves agradeceu aos pais à “formação e a chance de ter chegado ali”.

SEGURANÇA

Carlos Alberto, um coronel da reserva do Exército, e Liana Mara, ex-funcionária do BEC, tiveram receio quando Vanessa anunciou que seria a superintendente. Por causa da insegurança, mas nada que a filha “não soubesse enfrentar”.

NASCIMENTO

Vanessa Gonçalves nasceu no Rio de Janeiro mas, com a transferência do pai para servir na 10ª Região Militar do Exército, em Fortaleza, foi criada no Ceará.

BÊNÇÃO DO PADIM

Delano Cerqueira, que passou dois anos à frente da superintendência no Ceará, revelou que pediu ao Padre Cícero a proteção enquanto comandou a polícia. “Fui a Juazeiro pedi por minha vida”.

CONCURSO NA PF

Durante a posse, Rogério Galloro, diretor-geral da PF, anunciou que no próximo mês será lançado o edital de um concurso para 500 novos policiais federais.

Fonte: O POVO Online