Conflito de interesse e briga política tiraram Cel. Bezerra do Ibama no Ceará

CORONEL BEZERRA (à direita) é ligado ao grupo de André Fernandes no PSL no Ceará

nomeação do coronel Ricardo Bezerra como superintendente do Ibama no Ceará durou apenas um dia. Com direito a constar no Diário Oficial da União da última quarta-feira, 4. Dois fatos podem explicar o arrependimento do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A fazenda que o coronel possui na rodovia Transamazônica, no Pará, e o fato de ele não fazer parte do bloco político do deputado federal Heitor Freire (PSL), presidente da sigla no Ceará.

Bezerra, que foi candidato a deputado estadual em 2018, conta que foi chamado há cerca de 45 dias por Ricardo Salles. “Fui lá, conversei, o ministro gostou e me coloquei à disposição do Governo”, lembra. Ficou então na expectativa da nomeação. Para o Ibama no Ceará, tinha planos que, conforme ele, contemplavam uma agenda ambiental, mas também o desenvolvimento social. “Sem extremismos. Com a preservação do meio ambiente e também gerando emprego para a sociedade tão sofrida”, destaca.

Bezerra conta ainda que soube por amigos do ministério que sua nomeação seria tornada sem efeito, ação que teria sido motivada por um “conflito de interesses”. A fazenda dele no Pará tem como registro de atividade econômica a extração de madeira em florestas plantadas. “Fui nomeado, mas houve interesses escusos de setores da política cearense, que continuam com a velha prática de apoderar dos órgãos públicos para interesses desconhecidos”, relata.

A fazenda, segundo ele, hoje é ocupada pelo Movimento Sem Terra (MST). “Quando comprei para criação de gado já existia esse plano de manejo. Estou há 16 anos esperando a reintegração de posse”, afirmou. Sobre Heitor Freire e a possibilidade de ter havido intercessão do parlamentar para retirada do seu nome, o coronel afirma que eles já foram muito amigos mas hoje têm pouco contato. “A gente acha que sim (que houve interferência), mas não pode afirmar com exatidão”, frisa.

Nas redes sociais, Bezerra publicou uma nota de esclarecimento mencionando a medida do ministro Ricardo Salles em tornar sem efeito a nomeação dele para o cargo e explicando a situação da fazenda no Pará.

“O Sr Ministro do Meio Ambiente avaliou e visando a preservação do Órgão, do Governo e até minha, nesta área tão sensível, resolveu tornar sem efeito minha nomeação para Superintendente do IBAMA no Ceará, fato que recebo com desapontamento, mas também com naturalidade e resignação. Continuo acreditando no nosso governo, nos Ministros que estão conduzindo nossa Nação com honestidade e proficiência. Coronel Bezerra”

 

Nota de esclarecimento do Cel Bezerra: https://www.facebook.com/coronelricardobezerra/posts/738797509917179

Em nota, Heitor Freire afirma que o nome de Bezerra não teve nenhuma influência dele ou do partido. “Tendo havido nomeação e revogação da nomeação, certamente o ministro do Meio Ambiente está respaldado pelos critérios objetivos e pela conveniência da nomeação diante de todo contexto político do Ceará”, afirmou.

O contexto ao qual se refere é o que ele está envolvido com o deputado estadual André Fernandes (PSL). Freire e Fernandes protagonizam críticas recíprocas que causaram um racha dentro do partido no Estado, incluindo a destituição de André Fernandes da direção da sigla em Fortaleza.

Madeira

Ricardo Bezerra é proprietário de fazenda no município de Altamira, no Pará. O local, que segundo ele está ocupado pelo MST, possui manejo para extração de madeira em florestas plantadas.

Fonte: O POVO Online