Congresso americano cobra do Brasil explicações sobre condenação de Lula

Chegou às mãos do embaixador do Brasil em Washington, Sérgio Silva do Amaral, uma carta vinda do Congresso dos Estados Unidos e assinada por 29 congressistas. No documento, são cobradas ações sobre a morte de Marielle Franco, assassinatos de ativistas ambientais e também provas contra o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. Na carta, eles ainda apelam para que autoridades judiciais e políticas garantam “eleições justas”.
Os congressistas afirmam que se unem ao coro feito por outros líderes mundiais, como presidentes de Chile e França, e do primeiro-ministro da Espanha. Segundo os políticos norte-americanos, as acusações contra Lula não foram provadas e o processo contra o petista é “altamente questionável e político, levando a crer que o único motivo de sua prisão é prevenir que ele não se candidate nessas eleições”.
(Foto: Reprodução)
Ainda nessa parte da carta, os norte-americanos afirmam que “a luta contra a corrupção” não deve ser usada como justificativa para “perseguir oponentes políticos”.
Mais adiante, discorrem sobre uma “preocupação” com a violação de direitos humanos no País. Os congressistas citam a morte da vereadora carioca Marielle Franco e assassinatos de ativistas ambientais. Eles cobram que o Brasil investigue os casos e permitam que seja realizada uma “investigação independente”.
Também é criticado o governo de Michel Temer na carta. Os congressistas citam especificamente a aprovação da Emenda Constitucional do teto de gastos, que congela investimentos em saúde e educação. “Desde que assumiu o poder através do processo de impeachment, o presidente Temer em governo de extrema-direita instituiu o congelamento de gastos, cortando importantes investimentos em programas vitais de saúde e educação, um ataque aos trabalhadores”.
Redação O POVO Online