Conselho Penitenciário do Estado critica postura de secretário

O Conselho Penitenciário do Estado do Ceará (Copen), vinculado à Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado, divulgou, por meio de nota, uma crítica à postura do titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, no caso da chacina em Cajazeiras, que deixou 14 pessoas mortas.
Na nota, o Copen destaca o aumento da violência urbana e o decorrente aumento no índice de homicídios no Ceará.
“Mesmo reconhecendo que o aumento da violência urbana no Ceará não seja um fenômeno exclusivamente local, fica evidenciado o descontrole da situação pelos órgãos de segurança do Estado”.
Na nota, o Conselho critica as declarações do secretário André Costa, que minimizou os efeitos da chacina da Cajazeiras, que matou mais de uma dezena de pessoas, no que é a maior chacina da história do Estado. “É inconcebível acreditar que não há motivos para pânico”, afirma-se.
“Inimaginável é pensar que, enquanto estamos vivendo um aberto confronto urbano entre integrantes do crime organizado, propague-se, de maneira falaciosa, que ‘tudo está sob controle’”.
Na mensagem, o Copen se solidariza com as famílias das vítimas e pede que sejam tomadas medidas “urgentes e estruturantes” por parte do Governo.
Entre as medidas indicadas pelo Conselho estão o investimento em inteligência e investigação policial aliada à políticas de inserção social e recuperação das áreas degradadas. “Assim se chegará à um enfrentamento mais eficaz da violência no Estado”, postula o órgão da Execução Penal.
Fonte: O POVO Online