Emenda não interfere em reajuste salarial para Polícia militar

O deputado estadual Guilherme Landim (PDT) falou neste domingo, 1º, em suas redes sociais, que sua emenda da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) não interfere no atual reajuste salarial para policiais militares. O pronunciamento aconteceu após boatos de possíveis alterações nas negociações com a PM no Ceará.

O texto da emenda da PEC proíbe a tramitação de qualquer proposta de reajuste salarial e vantagens funcionais às carreiras militares em caso de motins, desde a deflagração do movimento até seis meses, podendo ser antecipado a qualquer momento desde que restabelecida a ordem. Em vídeo publicado no Facebook, o parlamentar afirmou que o documento, assinado por 26 deputados no último sábado, 29, “trata-se do futuro”.

“Assim como diz a Constituição brasileira que proíbe greves militar, na vigência de uma greve futura, a assembléia fique proibida num período de de até seis meses da volta da normalidade de poder avaliar reajuste ou benefícios funcionais. Então e isso que a nossa emenda versa, eu quero trazer para vocês essa verdade”. afirmou Guilherme.

A emenda é uma das duas integradas à PEC enviada pelo governador Camilo Santana que proíbe anistias administrativas para policiais militares envolvidos em motins no Estado. Ela teve pedido de tramitação de urgência aprovado por 31 votos na manhã deste sábado, 29, após quatro horas de discussão em Plenário. Agora, a proposta deve ser votada nesta terça-feira, 3.

FONTE: O POVO ONLINE