Entrega tática dá respaldo para Gabriel Jesus seguir no time titular

GABRIEL Jesus desarma o valente Guardado BENJAMIN CREMEL/A

A máxima de que “atacante vive de gols” permeia pensamento que tem causado comoção popular no Brasil na Copa do Mundo. Enquanto Gabriel Jesus completou quatro jogos sem marcar, Roberto Firmino entrou no segundo tempo e fez o gol que sacramentou o 2 a 0 sobre o México nas oitavas de final.

Para muitos, é óbvio que Bob Firmino deva ganhar a vaga.

Mas, o debate sobre quem deveria assumir a titularidade para enfrentar a Bélgica é muito mais complexo.

Entre todos os atacantes da Copa, Gabriel Jesus é o que mais realizou desarmes: sete. Na seleção, empata com Miranda e só fica atrás de Casemiro e Fagner, com 11 cada. É também o atacante quem tem mais interceptações, duas. Gabriel tem sido fundamental taticamente, o que ficou evidente contra o México, quando, assim como no jogo anterior, foi o brasileiro que percorreu maior distância: 9,4km, empatado com Casemiro.

“O Gabriel é um trator, a origem dele na base foi de externo. A utilização dele é muito importante numa competição como essa, de recuperação cada vez menor. Nós conversamos e decidimos que o Gabriel poderia contribuir demais pelo lado esquerdo. Ele cumpre uma função excepcional”.

As palavras de Sylvinho, auxiliar-técnico de Tite, em entrevista após a classificação sobre o México, sintetizam a satisfação da comissão técnica com as atuações do camisa 9. No futebol contemporâneo, que deixa o pensamento saudosista de lado e prioriza a intensidade, a inteligência tática e o comprometimento com o coletivo, a avaliação é mais abrangente.

Embora não tenha feito gols, Jesus tem encontrado outras maneiras de contribuir para o bem da equipe, o que acaba, por vezes, comprometendo o próprio rendimento lá na frente.

“Se você pegar os quatro jogos e me der uma oportunidade clara que perdi, vou ficar muito triste. Porque não tive. Coisas que acontecem. Ficaria triste se não estivesse ajudando em nada. É complicado vestir a 9 da seleção brasileira e não fazer gol. Sei disso, mas é uma Copa, e se tiver de abdicar de gols, vou abdicar para vencê-la”, declarou o atacante do Manchester City.

Firmino vive momento excelente no Liverpool e na seleção. Sua entrada na equipe titular pode agregar bastante, principalmente em um torneio de tiro curto. Mas é difícil acreditar que Tite mudará o discurso que prega coerência e fará a mudança agora, sobretudo pelo comprometimento de Jesus. Aos que pedem Firmino de titular, resta o contentamento em vê-lo entrando no decorrer do jogo. Que o faça com a qualidade que tem feito.

Fonte: O POVO Online