“Está quase batido o martelo”, afirma Bolsonaro sobre fim do horário de verão

O horário de verão foi adotado pela primeira no Brasil em 1931 e está em vigor, sem interrupção, há 35 anos

Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 5, que não haverá horário de verão em 2019 e a mudança nos relógios dos brasileiros deve acabar. “Tomei a decisão que neste ano não teremos horário de verão”. A declaração foi dada durante café da manhã com jornalistas convidados no Palácio do Planalto.  Segundo o presidente, “está quase batido o martelo” sobre o tema.

O fim do horário de verão chegou a ser avaliado em 2017 pelo governo de Michel Temer. Na época, o Ministério de Minas e Energia apontou que a economia gerada havia caído de R$ 405 milhões para R$ 159 milhões. O motivo foi a mudança no perfil de uso da energia: os picos de consumo estavam nas horas mais quentes do dia devido ao uso dos aparelhos de ar-condicionado.

Em 2018, o início de vigência do horário de verão precisou ser alterado para não coincidir com a data da eleição. O adiamento coincidiu com a data de início das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e causou apreensão pois poderia confundir os candidatos em relação ao fechamento dos portões.

O horário de verão foi adotado pela primeira no Brasil em 1931 e está em vigor, sem interrupção, há 35 anos. Segundo números já divulgados, entre 2010 e 2014, o aproveitamento da luz do sol resultou em economia de R$ 835 milhões para os consumidores – média de R$ 208 milhões por “temporada”

Fonte: O POVO Online