Gol suspende uso de aeronaves que faziam a rota Fortaleza-Miami

Boing 737 Max 8 (Foto: Divulgação/Gol)

As aeronaves que faziam voos de Fortaleza e Brasília para Orlando e Miami (EUA), operados com aeronaves Boeing 737 MAX 8, têm uso suspenso a partir desta segunda-feira, 11, pela Gol Linhas Aéreas. A decisão da companhia foi tomada após avião do mesmo modelo cair na Etiópia, neste domingo, matando 157 pessoas.

“Sendo segurança o valor número um da Gol, que direciona absolutamente todas as iniciativas da empresa, a companhia informa que, por liberalidade, a partir das 20 horas de hoje, suspenderá temporariamente as operações comerciais das suas aeronaves 737 Max 8″, anunciou a companhia, em nota.

A empresa informou que está acompanhando os fatos e espera “o retorno das aeronaves às operações regulares da companhia no menor espaço de tempo possível”.

Confira outro trecho da nota:

“Os clientes com viagens previstas nas aeronaves 737 Max 8 serão, a partir de hoje, comunicados e reacomodados em voos da empresa ou de outras companhias aéreas, como a nossa parceira Delta Airlines. A central também permanece à disposição pelo telefone 0800 704 0465. A empresa continuará operando os destinos internacionais de longo curso com os aviões Boeing 737 NG, sem previsão de cancelamento na malha. Essa decisão foi previamente comunicada à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que estabelece as regras para a Aviação Civil no Brasil. A Gol pede desculpas pelos transtornos causados e conta com a compreensão de todos os seus clientes”.

O modelo

Ao todo, a Gol tem sete aviões deste modelo, que foi considerado o eixo da recente expansão internacional da empresa. Com 135 encomendas — dos modelos MAX 8 e 10 —, a companhia é a única brasileira a operar essa versão atualizada do avião comercial mais vendido da história.

Até hoje, a Gol realizou 2.933 voos com o 737 Max, totalizando mais de 12.700 horas, com “segurança e eficiência”. Como O POVO noticiou no ano passado, a estratégia com o modelo era posicionamento competitivo perante as companhias low cost (de baixo custo), como a Norwegian.

A nova frota é equipada com motores Leap-1B, da CFM internacional, de alta performance. É mais autonomia de voo, quase 1.100 km a mais dos 5.500 km do modelo 737-800 NG.

Esse avanço tecnológico impacta em 15% na diminuição do consumo de combustível. Para os passageiros, mais conforto com o avanço dos Wingletsm, componente aerodinâmico que tem por função controlar a estabilidade, amenizando barulhos e trepidações. Vale lembrar também que esse é o modelo menos poluente produzido pela Boeing.

Acidente

O Boeing 737 MAX 8 operado pela Ethiopian Airlines seguia de Adis Abeba para Nairóbi no domingo e caiu minutos depois de decolar.

A Ethiopian Airlines informou que profissionais da Boeing irão colaborar com as investigações. A companhia etíope é uma das maiores transportadoras da África em tamanho de frota. Ela transportou 10,6 milhões de passageiros no ano passado.

Em outubro do ano passado, o mesmo modelo, operado pela Lion Air, caiu na costa da Indonésia, matando as 189 pessoas que estavam no avião.

Após a coincidência entre os dois acidentes, o regulador da indústria de aviação da China proibiu voos de quase cem aeronaves Boeing 737 MAX. Autoridades da Indonésia fizeram o mesmo.

Fonte: O POVO Online