Heitor Freire: relação com Wagner ficará difícil se seguir criticando Bolsonaro

Apesar de o assunto ter sido prometido apenas para a próxima convenção do Direita Ceará, falar sobre 2020 foi inevitável. Presidente estadual do PSL, Heitor Freire afirmou que Capitão Wagner (Pros) é visto na condição de “forte aliado”. Espera dele, contudo, que as frequentes críticas à gestão de Bolsonaro acabem. Afirmou, inclusive, ter conversado com o deputado sobre a questão. Wagner é contra a reforma da Previdência, por exemplo, considerada principal agenda do Governo Federal.

Pesselistas e militantes conservadores estiveram na tarde deste domingo, 19, no Hotel Praia Centro para 2ª Convenção Estadual do Movimento Direita Ceará. Na reunião, esteve em discussão o alinhamento de um discurso em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Próximo domingo, 26, manifestações em defesa das pautas do Governo Federal estão marcadas em todo o País.

Freire diz discordar completamente das avaliações sobre o Governo vindas de Wagner. “Se for acontecendo, nossa relação vai ficando cada vez mais difícil, porque somos soldados do capitão Bolsonaro”.

Elogia, contudo, o fato de Wagner bater de frente com a família Ferreira Gomes. Mas ainda não decidiu se o PSL quer ou não integrar a chapa do capitão da reserva da Polícia Militar, que já é pré-candidato à sucessão do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

Freire afirma que o candidato de Bolsonaro pode ser ele próprio, o deputado estadual André Fernandes,  o também estadual Delegado Cavalcante ou o tesoureiro da sigla, Albino Oliveira.

“Vamos fazer pesquisas mais à frente. O momento é de formar nossas bases e formar os diretórios municipais.” Como principal meta, define: nos unir contra o mal, que é a esquerda.

Fonte: O POVO Online