Homem que atropelou 18 no Rio pede desculpas e diz que não é assassino

Após atropelar 18 pessoas no calçadão da Praia de Copacabana, no Rio, no último dia 13, o administrador de empresas Antonio de Almeida Anaquim, de 41 anos, declarou que não “teve a intenção de matar ninguém”.  Um bebê de oito meses morreu. “Quero dizer que não sou nenhum assassino”, declarou. Ele também pediu perdão às vítimas durante entrevista gravada para o “Fantástico”, da Rede Globo, exibido neste domingo, 21.

SAIBAMAIS]Ananquim alega que teve ataque epiléptico no momento do acidente. “Eu tive uma ausência. Você fica completamente congelado, se contorce para o lado e perde totalmente a consciência das coisas, de tudo. Quando comecei a ter uma consciência, ainda muito grogue, não estava praticamente entendendo nada, vendo o vidro do meu carro quebrado e dois policiais na minha porta, conversando comigo, tentando me explicar. Mas eu não conseguia entender nada do que estava acontecendo”, tentou justificar. 

O administrador sofre de distúrbio cerebral e toma medicação controlada, no entanto, omitiu essa informação ao renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RJ). Ele  dirigia mesmo com a carteira cassada, com 62 pontos de multas no trânsito.

O motorista foi liberado na tarde da última sexta-feira, 19, e retorna esta semana para depor na 12º Delagacia de Polícia. Data do depoimento ainda não foi definida. Ele responderá em liberdade por homicídio culposo, quando não há intenção de matar

Redação O POVO Online