Japão pede que Coreia do Sul não deixe relações fragilizadas

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, pediu ao seu colega da Coreia do Sul, Lee Nak-yon, que não deixe as relações bilaterais fragilizadas.

Os dois líderes se reuniram nesta quinta-feira (24), em Tóquio. Lee encontra-se na capital japonesa após ter comparecido, na terça-feira, à cerimônia de entronização do imperador Naruhito.

Shinzo Abe disse que cooperação com a Coreia do Sul e as relações trilaterais com os Estados Unidos são importantes    (Arquivo/Alan Santos/PR)

Na reunião, Abe ressaltou que a cooperação com a Coreia do Sul e as relações trilaterais com os Estados Unidos são importantes já que envolvem questões como a Coreia do Norte.

Os laços ficaram fragilizados após uma série de decisões tomadas por tribunais sul-coreanos a partir de outubro do ano passado. Empresas japonesas foram ordenadas a indenizar coreanos que afirmam ter sido obrigados a trabalhar para elas durante a Segunda Guerra Mundial. O governo japonês, por sua vez, sustenta que a questão foi resolvida por um acordo firmado em 1965.

Direito internacional

Shinzo Abe pediu novamente que a Coreia do Sul corrija a situação atual, que o Japão enxerga como sendo uma violação do direito internacional.

Ele expressou o desejo de que as comunicações diplomáticas tenham continuidade visando resolver as questões. Já Lee Nak-yon respondeu que seu país compartilha a compreensão quanto a importância do diálogo.

Lee também entregou uma carta do presidente sul-coreano Moon Jae-in para Abe. O governo da Coreia do Sul diz que, na carta, Moon parabeniza o Japão pelo início da Era Reiwa e expressa o desejo pelo desenvolvimento dos laços bilaterais.

FONTE: O POVO ONLINE