Justiça manda prender empresário por perseguir e atropelar 2 pessoas

Vídeo incluído nos autos mostra atropelamento das vítimas pelo empresário

A Justiça decidiu que o empresário Carlos Bruno Ferreira de Araújo deve voltar para a prisão. Ele atropelou duas pessoas após discussão em uma casa de shows localizada na BR–222, em Tianguá, a 333 quilômetros de Fortaleza. O crime ocorreu no último dia 25 de novembro.

De acordo com um vídeo que consta nos autos do processo, Carlos Bruno conduzia seu veículo quando subitamente acelerou de maneira agressiva em direção a Elissandro de Araújo e José Ramos, que estavam em uma motocicleta. O empresário atingiu propositalmente a parte traseira da veículo, fazendo com que as vítimas fossem arremessadas ao chão. Mesmo após a colisão, Bruno desceu do seu veículo e agrediu os homens que estavam no solo.

O empresário foi preso após o crime, mas, em 21 de fevereiro, o juiz Eduardo Braga Rocha decidiu pela libertação dele. No último dia 27 de agosto, o desembargador Mário Parente Teófilo Neto, do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), acatou recurso do Ministério Público, reformou a decisão de primeiro grau e restabeleceu a prisão preventiva do réu.

Investigações da polícia revelaram que o réu, em concluio com seus pais, planejavam que a namorada assumisse a autoria do crime, alegando nervosismo e conduta culposa. Além disso, eles também planejam pagar cerca de R$ 8 mil pelo depoimento falso de uma testemunha.

A decisão do órgão colegiado deu provimento a um recurso em sentido estrito (Rese) interposto, em 28 de fevereiro de 2019, pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através do promotor de Justiça da Comarca de Tianguá, Rodrigo Moreira do Nascimento.

A prisão cautelar foi necessária para o resguardo da ordem pública, ante o risco de reiteração delitiva e gravidade concreta do delito, bem como para garantia de aplicação da lei penal.

Fonte: O POVO Online