Litro da gasolina tem redução de R$ 0,20 em Fortaleza

O preço do litro da gasolina começa a baixar nos postos. O reflexo é sentido nas bombas, onde o combustível chega a ser vendido em Fortaleza ao valor de R$ 4,52, inferior à média registrada em junho – R$ 4,72 conforme pesquisa da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Para constatar a queda de R$ 0,20, O POVO percorreu dez postos da Capital cearense e observou a redução.

Em um estabelecimento localizado no bairro Mondubim, a gasolina é vendida a R$ 4,53. “Nós chegamos a vender a gasolina a R$ 4,86 na metade de junho. Aos poucos, esse valor foi reduzido. Nessa semana, é provável que o preço caia novamente”, explica o gerente do posto que pediu para não ser identificado. Em contrapartida, o preço do etanol girava em R$ 3,75.

Postos localizados no bairro Itaperi e Maraponga comercializavam a gasolina a R$ 4,57 e R$ 4,59 respectivamente. Na mesma sequência, o litro do etanol era ofertado ao consumidor por R$ 3,69 e R$ 3,79.

Num estabelecimento do bairro Dias Macedo, o preço praticado para o combustível fóssil era de R$ 4,52. O álcool saía por R$ 3,65. “É possível que entre quarta e quinta-feira esse valor (gasolina) diminua”, revela um frentista. Na Aldeota, Joaquim Távora e Dionísio Torres, os postos variavam entre R$ 4,57 e R$ 4,59 o litro da gasolina. O etanol era encontrado por R$ 3,76 e R$ 3,79.

A redução é explicada pela queda do valor da gasolina nas refinarias do País, além da estabilidade do cenário econômico externo. “O dólar começa a se normalizar e a diminuição do valor do petróleo no mercado internacional tiveram impacto significativo. Nas próximas semanas, a redução deve se manter, beneficiando o consumidor”, disse Bruno Iughetti, especialista em petróleo e energia.

Especular se o preço da gasolina vai cair é incerto. “É difícil estimar o valor do combustível nos próximos meses. A política de preços da Petrobras está atrelada à variação do câmbio e aos movimentos do petróleo no mercado internacional. Se houver alguma alteração em espaço de semanas, o preço pode disparar novamente”, explica.

Enquanto a gasolina segue a tendência de queda, o cenário para o etanol requer atenção. “Os efeitos do combustível são diferentes se comparado com o que ocorreu com a gasolina. Na greve dos caminhoneiros, houve uma procura maior pelo etanol, contribuindo para uma queda dos estoques, resultando em uma alta dos preços”, aponta. Mas os preços devem atingir o patamar praticado no mês de maio até o final de julho, em função de as reservas estarem se normalizando. Em maio, o litro etanol era encontrando em Fortaleza entre R$ 3,55 a R$ 3,89.

Os consumidores também avaliam que os preços estão mais em conta, mas longe do que se pagava no início do ano. “Ainda esse ano abastecia meu carro com o valor da gasolina próximo a R$ 4. Mas esses R$ 0,20 indicam que os preços podem baixar ainda mais”, ressalta a engenheira Ingrid Damasceno. Já o eletricista Pedro Vasconcelos não acredita em redução. “Geralmente ocorre o movimento de queda do preço dos combustíveis em uma semana. Quando menos esperamos, sobem de novo. Infelizmente continuamos reféns”, finaliza.

Redução de R$ 0,46 no diesel

A situação do diesel nas bombas é um pouco diferente da gasolina.O diesel obedece ao acordo feito entre Governo Federal e caminhoneiros.

Fonte: O POVO Online