“Não é porque eu quero, mas nós precisamos fazer uma reforma da Previdência”

Ao apresentar a proposta em fevereiro, Bolsonaro admitiu ter errado ao votar contra a reforma da Previdência no passado

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), declarou que a proposta de reformar a Previdência Social não é uma predileção sua, mas uma necessidade de governo. Contraposto por adversários devido à declarações passadas em que refuta o aumento da idade mínima para aposentadoria, ele disse na noite desta quinta-feira, 7, que “precisa” da reforma para poder equilibrar as contas públicas.

“Não é porque eu quero, mas nós precisamos fazer uma reforma da Previdência. Afinal de contas, ela está mais do que deficitária”, afirmou o presidente, durante transmissão ao vivo pelo Facebook. De acordo com Bolsonaro, a alteração do atual modelo previdenciário se faz necessário para que o Brasil não “se transforme numa Grécia” – país que, segundo ele, teria chegado “ao fundo do poço na questão econômica”.

Em 2017, o ex-presidente Michel Temer (MDB) apresentou proposta para alterar a idade mínima para aposentadoria. À época, durante evento em Teresina, no Piauí, então deputado federal, Bolsonaro chegou a declarar que “aprovar uma reforma (da Previdência) com 65 anos é, no mínimo, uma falta de humanidade”.

No mês passado, o agora presidente Bolsonaro entregou aos presidentes da Câmara Federal e do Senado Federal – Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respectivamente –, proposições para alterar a Previdência Social. As medidas foram preparadas por sua equipe econômica, a qual é comandada pelo ministro Paulo Guedes.

A proposta estipula a idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres poderem se aposentar, após período de 12 anos de transição. Na ocasião com os líderes do Congresso Nacional, Bolsonaro admitiu que teria “errado” ao votar contra a reforma da Previdência, no passado.

Atualmente com discurso de “cortar privilégios”, o presidente defende que pretende “aprovar a reforma que está lá”. “Se bem que o parlamento é soberano para fazer qualquer possível alteração. Só esperamos que ela não seja muito ‘desdatada’ para que atinja realmente o seu objetivo. E (assim) sobra recurso para nós investirmos em emprego, segurança, saúde, educação”, pontuou na rede social.

Fonte: O POVO Online