Oito integrantes de facção do Ceará são condenados por até 22 anos de prisão

Oito integrantes da facção Guardiões do Estado (GDE) foram condenados pela Vara de Delitos de Organizações Criminosas da Comarca de Fortaleza. Decisão foi divulgada nesta terça-feira, 5.

De acordo com as informações da Associação Cearense dos Magistrados, as penas variam de 8 anos e 4 meses de reclusão a 22 anos, 6 meses e 20 dias de reclusão, por crimes como organização criminosa majorada, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

A condenação do grupo aconteceu em virtude de uma investigação. Na ocasião houve autorização judicial para periciar um celular apreendido durante diligência à residência do irmão de um homem apontado como líder dessa facção, no município de Capistrano, a 120 km de Fortaleza.

O criminoso havia fugido deixando cair o celular. Com o material analisado e as investigações policiais, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) ofereceu denúncia contra 10 suspeitos, incluindo um homem que já estava preso na cadeia pública de Capistrano.

Conforme a Associação de Magistrados, foi decretada a prisão de nove dos 10 suspeitos, mas o líder da organização daquele município segue foragido e contra ele foi aberto processo à parte.

Dos oito detidos, uma mulher foi absolvida e teve alvará de soltura expedido. Por outo lado, uma suspeita que respondia em liberdade foi condenada a um dos delitos denunciados e absolvida por outro, pegando a pena de 8 anos e 4 meses de reclusão. Ela poderá recorrer da sentença também em liberdade.

Quatro réus foram condenados a penas de 22 anos, 6 meses e 20 dias de reclusão e, por fim, três réus pegaram, respectivamente: 13 anos, 7 meses e 10 dias; 16 anos e 4 meses; e 18 anos e 4 meses de prisão.

FONTE: O POVO ONLINE