Operação contra fraudes no Bilhete Único prendeu 12 pessoas

Mais de 20 cartões Bilhetes Único foram apreendidos nos terminais do Siqueira e Parangaba e três pessoas foram pressas durante operação do 5º DP (Parangaba) que investiga fraude no bilhete único. As ações aconteceram nesta quarta-feira, 18.


De acordo com o delegado Valdir Passos, em dois meses de operação, foram apreendidos mais de 400 bilhetes e 12 pessoas foram presas. No esquema, existem pessoas que permanecem em diferentes horários nos terminais oferecendo passe um bilhete único por preço inferior ao da passagem de ônibus. Outras pessoas são responsáveis por coordenar os locais e horários. Câmeras instaladas nos terminais têm flagrado e auxiliado as ações.


A investigação também busca identificar e prender o chefe do esquema. Conforme o delegado Valdir Passos, a denúncia partiu do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) e da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Também participam dos levantamentos a Coordenadoria de Inteligência (Coin), da (SSPDS).

Na última quarta-feira, foram presos nos terminais Marcos Aurélio Ferreira de Sousa Júnior, de 20 anos, Raimundo Nonato Silveira Rocha, de 35 anos, e o Elderson Macena Ribeiro, de 28 anos. Eles foram detidos em flagrante por estelionato e a falsa identidade. “Os policiais identificaram previamente e se misturaram aos usuários para identificá-los. Em seguida, fizemos as prisões. Os três estavam comercializando e estavam com o dinheiro trocado para a transação ilícita”, relatou.

Como funcionava

1) Os criminosos ficavam nas entradas dos terminais e repassavam os cartões para terceiros.

2) Os clientes do esquema criminoso entravam nos terminais com o Bilhete Único repassado pelos responsáveis pelo esquema e então devolviam os cartões.

3) As pessoas que abordam os usuários de transporte coletivo possuem rotina bem definida e escalas de trabalho.

4) No fim do dia, os valores são repassados para uma e espécie de coordenador, que, por sua vez, presta conta com o chefe da organização.

“Estamos investigando, com apoio do Sindiônibus, da Etufor, da Guarda Municipal. O próprio usuário que está passando o cartão pode ser preso pela falsa identidade. Alguns deles vêm com fotografias do titular e vem o nome também”, relata.

Uma das ações para fiscalizar as fraudes é posicionar as câmeras de forma estratégica e aumentar o número de equipamentos nos terminais. “As investigações devem continuartambém no Centro e na Aldeota, onde tem movimentação de usuários nos terminais. A pessoa que utiliza o cartão de passagem, bilhete único ou Passcard de outra pessoa está cometendo crime. A ação traz prejuízo para as empresas e acarreta aumento das passagens de ônibus”, afirma Valdir Passos.

Erramos: na versão original desta matéria, foi publicado se tratar de mais de 40 cartões, mas o número correto é mais de 20.

Fonte: O POVO Online