PM apreende 23 artefatos explosivos em dois ônibus com torcedores do Cruzeiro

Abordagens da Polícia Militar do Estado do Ceará, neste domingo, 3, a dois ônibus fretados que transportavam supostos torcedores do Cruzeiro para o jogo do Campeonato Brasileiro, resultaram na apreensão de 23 artefatos explosivos. Esses artefatos são conhecidos como ‘cabeça de nego”, que é uma espécie de granada confeccionada de maneira artesanal. As informações são do oficial de operações do Batalhão de Choque (BPChoque), capitão PM Lutiani Rodrigues. 

Conforme o oficial, ainda foram apreendidos dois rojões. Três pessoas foram detidas e levadas, inicialmente, para a delegacia do estádio, e depois serão encaminhadas ao 13º DP (São Cristóvão). O militar explica que a Polícia recebeu informações de que haveria um confronto. “Nós tinhamos informações que haveria um confronto de torcedores do Cruzeiro, mas que são daqui do Ceará, identificamos pouquissímos mineiros aqui hoje”, explica.

Segundo o capitão, a intenção dos supostos torcedores era descer na avenida Paulino Rocha e ir andando, justamente para o confronto com os torcedores do Ceará. No entanto, os coletivos fretados foram escoltados. “Escoltamos os ônibus deles até o Castelão e evacuamos a torcida do ceará.

“Ao verificar os ônibus encontramos os artefatos e as pedras”, relata. O oficial ressalta que os detidos seriam lideranças do grupo, pois estavam responsáveis pela compra de ingressos e à frente das ações. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado para a detonação dos artefatos. 

As apreensões foram realizadas pela patrulha do Comando Tático Motorizado (Cotam), do Batalhão de Choque. De acordo com o capitão Lutiani, o trabalho em conjunto com Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), Cavalaria e Batalhão da Polícia Especializada (BPE) evitaram confronto das torcidas no estádio.

Números

Em março deste ano, O POVO Online noticiou que as ocorrências com explosivos no estado do Ceará atendidas pelo Gate chegaram a 12 em menos de três meses no ano de 2018. Em todo o ano de 2017, o Gate atendeu 32 ocorrências com explosivos, já em 2016 foram 33 atendimentos.

Casos envolvendo artefato cabeça de nego 

No dia 5 de março, um dia após a partida entre o Fortaleza e o Ceará, o funcionário de um estabelecimento comercial se deparou com uma espécie de granada artesanal, chamada “cabeça de nego”. O artefato explosivo, que é feito com pregos e uma pólvora que tem uma sensibilidade maior que as demais, estava nas proximidades do comércio, quando o zelador resolveu manuseá-la. O artefato explodiu, quebrando e dilacerando a mão da vítima. No mesmo dia, uma sacola com vários desses artefatos foi apreendida pelo Grupo de Ações Táticas (Gate).

No dia 5 de março,  dia de um Clássico-Rei, um suposto torcedor também se feriu ao manusear o mesmo tipo de artefato explosivo. Ele perdeu um dedo. No dia 6, uma “cabeça de nego” foi encontrada nas proximidades do Grand Shopping, em Messejana. O esquadrão antibombas, do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), foi acionado e teve que remover o artefato para um local seguro e o destruiu.

Fonte: O POVO Online