Polícia Civil prende suspeitos de furtar aparelhos de ultrassom da Uece

Quatro homens foram autuados em flagrante por receptação. Um deles é médico que mantém clínica na Aldeota

Quatro suspeitos por receptação de aparelhos de saúde foram presos após investigações da Polícia Civil do Estado do Ceará. Na última sexta-feira, 5, agentes do 11º Distrito Policial capturaram os acusados de terem furtado dois equipamentos de ultrassom, que juntos são avaliados em cerca de R$ 65 mil. Um dos equipamentos pertence à faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (Uece).

A investigação começou depois de a Polícia receber informações de que o aparelho da Uece estaria sendo comercializado em grupo de aplicativo de mensagens. Furtada no último dia 15 de fevereiro, a máquina e duas sondas estavam no interior do veículo de uma das alunas da instituição, no bairro Benfica.

Segundo a Polícia, com apoio de outro carro, os homens arrombaram o veículo da estudante, no bairro Benfica. Com intensificação das apurações, a equipe da 11º DP identificou que a pessoa que teria comprado o aparelho era um médico. Em ação, os policiais foram até a clínica do investigado, na Aldeota, onde encontraram o equipamento furtado. O médico foi autuado em flagrante por receptação, sendo fixada fiança.

A partir daí, a equipe chegou ao grupo que havia comercializado inicialmente o equipamento, detectando ainda que os suspeitos tentavam vender um segundo aparelho de ultrassom – já este objeto de furto ocorrido na última quarta-feira, 3, em clínica no bairro Conjunto Ceará.

Por meio de mais uma negociação, os policiais conseguiram localizar e prender em flagrante três homens: Ricardo José Maia Moraes, de 47 anos; Francisco Dierle de Sousa Batista, de 29 anos; e Francisco Rômulo Rodrigues Campos, de 48 anos. Os dois últimos são conhecidos da Polícia, tendo antecedentes criminais.

Francisco Dierle já responde por receptação, enquanto que Francisco Rômulo responde por, além de receptação, tráfico de drogas, uso de documentos falsos, falsificação, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais e falsificação de documentos particular. Todos suspeitos foram encaminhados à sede do 11° DP, sendo autuados em flagrante por receptação.

Fonte: O POVO Online