Prefeitura pretende aumentar em 30% as cirurgias realizadas nos Frotinhas

Prefeito Roberto Cláudio assina ordem de serviço para o inicio das obras do anexo do hospital Frotinha da Parangaba. (Foto: Alex Gomes/O Povo)

As obras no bloco anexo ao Hospital Maria José Barroso de Oliveira, o Frotinha da Parangaba, foram iniciadas após assinatura da ordem de serviço pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT), na manhã deste sábado, 3. No novo prédio passará a funcionar a emergência e o novo centro cirúrgico da unidade, que também deve passar por ampliação.

As salas de cirurgia passam de duas para quatro, enquanto a sala de recuperação terá um aumento de leitos: serão oito, em vez dos três que existem atualmente. Haverá uma sala de observação vinculada à emergência com 25 leitos e na enfermaria o aumento será de 62 para 80 leitos. Além disso, será ampliado o atendimento ambulatorial, com dois consultórios de traumatologia e dois consultórios da clínica médica.

“Após o encerramento dessa reforma, o Frotinha da Parangaba vai conseguir internar mais, operar mais e vai reduzir o tempo de espera entre alguém chegar na emergência e poder ser operado. Essa é a ideia da reforma: aumentar não só o volume de serviço, mas a qualidade, diminuindo o tempo de espera”, explica o prefeito. “Essa não é uma reforma isolada”, prossegue, “estamos fazendo um redimensionamento da nossa rede de hospitais”

“Hoje, todas unidades da Secretaria Municipal de Saúde estão passando por ampliações e reformas”, corrobora o coordenador de Hospitais e Unidades Especializadas, Rommel Araújo. Ele explica que nos três Frotinhas – Parangaba, Antônio Bezerra e Messejana – o objetivo é “mexer no coração propriamente dito: bloco cirúrgico (sala cirúrgica e sala de recuperação) e na emergência”.

Quando finalizadas, as reformas das três unidades devem ampliar o número de cirurgias realizadas mensalmente pelos Frotinhas em 30%. “A pretensão é reduzir o número de pacientes aguardando em macas na emergência”, enfatiza Araújo. Atualmente, o número de procedimentos cirúrgicos realizados por mês é de cerca 300. A meta é que o número passe a ser de 350 cirurgias ao mês em 2020, quando encerra o prazo de entrega das três obras

Roberto Cláudio ressaltou ainda as reformas que foram realizadas no Hospital Nossa Senhora da Conceição e a entrega de algumas das etapas das reformas no Gonzaguinha da Messejana e do Instituto José Frota, o IFJ, 2. Também devem ser iniciadas a construção de um novo centro de parto normal no Gonzaguinha da Barra do Ceará e está encaminhada as obras do Hospital da Criação. A “última obra hospitalar” da gestão do pedetista deve ser no Gonzaguinha do José Walter, que deve ter início ainda neste ano.

“Com isso, a gente vai estar melhorando não só estrutura, mas como ampliando leitos e atendimento em toda a rede hospitais municipais de Fortaleza”, enfatizou Roberto Cláudio, que acrescentou que a ampliação realizada faz parte da promessa de dar maior atenção a rede secundária de saúde na capital cearense até a finalização do mandato, em dezembro de 2020.

As obras para a construção do bloco anexo ao Frotinha da Parangaba têm contrato de doze meses, mas o objetivo da Prefeitura é que a entrega ocorra entre março e abril de 2020. A peculiaridade da unidade, explica a secretária de Infraestrutura, Manuela Nogueira, é a possibilidade de “fazer a obra com um pouco mais de celeridade visto que a gente não tem um hospital funcionando nesse prédio onde a obra irá acontecer”.

“Diferente dos outros Frotinhas que passam por intervenção e que a gente tem que fazer a obra por etapas visto que tem que fazer o plano de contingência para que o hospital não pare, para que alguns serviços sejam realocados para outra unidade de saúde, nesse não temos isso porque é um bloco isolado do já funcionando Frotinha da Parangaba”, relata.

Após a finalização da construção do prédio anexo, deve ser iniciada a reforma no prédio central, essa ainda sem previsão. Nele, a antiga área de emergência e do centro cirúrgico – já transferidos para o anexo – devem ser transformados em enfermarias gerais e para pacientes crônicos. “Lá vai ter que ser feito um projeto e, como é um hospital antigo, temos que ver como está a estrutura hoje. Tudo isso precisa ser bem trabalhado”, afirma Rommel Araújo.

Além do prefeito, participaram da solenidade o secretário de Governo, Samuel Dias – apontado como uma das possibilidades a sucessão de Roberto Cláudio para a Prefeitura, a secretária de Infraestrutura, Manuela Nogueira, a secretária-executiva da Saúde, Gabriela Fernandes, o deputado estadual Salmito Filho (PDT) – nome também ventilado para a disputa pelo Paço – e oito vereadores de Fortaleza, entre eles o presidente da Câmara Municipal, Antônio Henrique (PDT).

Fonte: O POVO Online