Procon multa Empiricus por propaganda enganosa com Bettina

Bettina afirmou que transformou R$ 1.520 em R$ 1 milhão em apenas três anos. (Foto: Reprodução/Youtube)

A Empiricus foi multada pelo Procon-SP pela propaganda com Betinna Rudolph. O Procon considerou propaganda enganosa o vídeo no qual ela relata como partiu de investimento de R$ 1.520 para um patrimônio de mais de R$ 1 milhão. Betinna se apresenta como hoje funcionária da Empiricus.

LEIA TAMBÉM | Entenda a polêmica envolvendo Bettina Rudolph, suposta milionária de 22 anos do YouTube

“A afirmação da empresa de garantias de resultados de investimentos sob sua orientação, via movimentações financeiras no mercado variável de ações, demonstra-se enganosa e capaz de induzir o consumidor a erro, infringindo o artigo 37, §1º do Código de Defesa do Consumidor”, informa o instituto.

O Procon informa que a empresa foi notificada em 19 de março. Em 25 de março, foi enviada representação criminal contra a Empiricus ao Departamento de Polícia e Proteção à Cidadania da Polícia Civil de São Paulo (DPPC), por possível prática de publicidade enganosa e propaganda abusiva. Pelas eventuais infrações ao Código de Defesa do Consumidor, foi solicitada instauração de inquérito policial.

A multa, conforme explicação do Procon, será aplicada em procedimento administrativo. O valor mínimo é de R$ 650. O máximo, R$ 9 milhões. A variação depende da gravidade da infração, da vantagem obtida com a propaganda enganosa e da condição econômica do fornecedor.

Em caso de reincidência, pode haver outras punições, inclusive suspensão temporária das atividades.

“Problema para o Procon”

Em 2018, já sob questionamento acerca de sua publicidade agressiva, o diretor da Empiricus, Felipe Miranda, reagiu à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que tentava fiscalizar a publicidade da empresa. “Isso é problema pata o Procon, para o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária)”, disse ao O Globo. A Empiricus, conforme afirmou à época, “não respeita a Comissão de Valores Mobiliários como seu regulador”.

A empresa também é alvo de representação no Conar.

Fonte: O POVO Online