Quadrilha de São Paulo furta joias avaliadas em R$ 1 milhão

As joias foram avaliadas em R$ 1 milhão.

Quatro suspeitos furtaram joias estimadas em R$ 1 milhão de um apartamento em um condomínio de luxo na Beira-mar de Fortaleza. O crime, que aconteceu na última quinta-feira, 16, resultou em quatro pessoas detidas, todas de uma quadrilha paulista especializadas em roubos e furtos. A prisão aconteceu no Ceará após o grupo conseguir escapar das autoridades em Vitória (ES), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Dois suspeitos presos são investigados por furto qualificado, associação criminosa e corrupção de menores. Os outros dois são um casal de adolescentes, de 16 e 17 anos, apreendidos. A menina teria participado também de uma ação criminosa há um mês em Vitória (ES).

Entenda o caso

De acordo com informações divulgadas em coletiva de imprensa da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o furto foi realizado pelos dois adolescentes da quadrilha, que aproveitaram a saída de um morador do condomínio para entrar sem autorização.

Os suspeitos arrombaram a porta de um dos apartamentos, que se encontrava sem ninguém, e realizaram o furto. Ao tentar sair do prédio com as joias, foram questionados pelos funcionários acerca do material. Eles alegaram que pertencia a uma tia e conseguiram ser liberados, após muita insistência.

Veja o momento em que os suspeitos deixam o condomínio:

 https://youtu.be/AoztpZILLYs

Após a denúncia da vítima do furto, a Polícia, por meio da Assessoria de Inteligência da Polícia Militar, conseguiu identificar o hotel onde o grupo estava hospedado e foi para o local. Ao chegar, os funcionários avisaram que o grupo tinha saído há pouco tempo em direção ao aeroporto, onde voltariam para São Paulo.

No aeroporto, três dos suspeitos foram detidos e um conseguiu fugir, com uma das malas com joias. A delegada Socorro Portela, do 2º Distrito Policial, falou que a mala foi recuperada após um longo diálogo com um dos criminosos preso, Christian Ales Janer Signori, 23. Ele conseguiu convencer o adolescente que havia fugido a devolver as joias, além de auxiliar os policiais a capturá-lo.

Uma outra mala ainda foi abandonada pelos criminosos em uma calçada na cidade. O grupo descartou essa bagagem porque eram joias de menor valor e o dono de uma oficina próxima acabou a encontrando e devolveu à Polícia.

Os dois homens presos eram sócios de uma empresa de bronzeamento artificial em São Paulo e possuem antecedentes criminais por furtos. Christian Ales responde a um processo de 16 anos de condenação pelo mesmo delito.