RC diz que prejuízo de ônibus não será repassado ao fortalezense

PREFEITO ressaltou ainda que desde a última quinta-feira 100% da frota está em circulação

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou neste fim de semana que o prejuízo obtido por empresas de ônibus com ataques de facções criminosos a coletivos “não será repassado” para a população de Fortaleza. Destacando que a questão é “responsabilidade individual” das empresas, o prefeito reforçou apoio ao governador Camilo Santana (PT) na questão.

“Não (será repassado), até porque isso é uma responsabilidade individual, empresarial, da concessão. Isso não será repassado para o usuário”, disse Roberto Cláudio no sábado, durante inauguração de binário no Bom Jardim. O prefeito destacou ainda que, desde quinta-feira, 26, Fortaleza conta com 100% da frota de ônibus e de coleta de lixo circulando.

“O que a gente viu fora da prisão foi um reflexo do endurecimento da política de combate ao crime organizado dentro dos presídios. Mas está muito claro para a população que é importante continuar esse trabalho, que o governador tem todo o nosso apoio e que, mais que isso, o apoio da população, porque as pessoas entendem que é preciso desestruturar o crime”.

Desde o início da onda de violência, foram registrados diversos ataques a coletivos em Fortaleza, vários deles sendo destruídos pelos criminosos. Em janeiro, ciclo semelhante incendiou pelo menos 20 ônibus, o que aumenta o receio de que o prejuízo seja repassado no próximo ajuste da tarifa de ônibus da Capital.

Roberto Cláudio destacou também que, desde que começaram os ataques da semana passada, a Prefeitura tem mobilizado guardas municipais para o reforço da segurança. “Chamamos os guardas que estavam de férias, pegamos 110 guardas que estavam se formando, estamos chamando para hora extra, tudo para garantir o apoio necessário”, diz.

“Claro que a gente, quando tem um evento ou outro de endurecimento, acaba tendo consequências fora. Mas a persistência, a resiliência do governo e, principalmente, sua força ao combater o crime, tem dado resultados fora da prisão. É tanto que nossos crimes têm caído substancialmente, não só homicídios como assaltos e roubos”, conclui.

A declaração do prefeito foi feita durante a inauguração do novo binário das ruas São Francisco/Pedro Martins, no Bom Jardim. Marcando a entrega da obra, que serve de entrada para o bairro na altura da avenida Osório de Paiva, RC pedalou pela nova ciclofaixa da via, acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal, Antônio Henrique (PDT).

“Essa é uma das redes de entrada do Bom Jardim. Então, além de uma obra importante para o acesso dos ônibus e dos carros, estamos adequando as calçadas e ciclofaixas, que são um desafio grande da cidade de Fortaleza”, diz o prefeito.

RC destacou, por exemplo, dado de que cerca de 20% dos acidentes da região envolvem pedestres e ciclistas. “Trânsito é problema de saúde pública”. Moradora do bairro desde a infância, Silvia Pinheiro, 54, diz que o binário era cobrança antiga dos moradores. “É uma rua apertada e por onde passam muitos ônibus. Então sempre virava uma confusão”, diz.

Esta foi a 3ª obra de binário entregue pelo prefeito no Bom Jardim. Além da mudança no sentido das ruas, as vias ganharam novas calçadas, iluminação e ciclofaixas. O projeto prevê sinalização especial e paradas de ônibus novas nas vias, mas que ainda não haviam sido instaladas até este sábado.

“Isso é uma luta de muito tempo. Binário parece ser uma obra simples, só mudar sentido de ruas, mas na verdade é bem mais que isso. É uma obra complexa, porque as ruas laterais também receberam adequações”, diz o vereador Didi Mangueira (PDT), com atuação no Bom Jardim.

Durante a pedalada por cerca de cinco quarteirões do Bom Jardim, Roberto Cláudio chegou a ser parado por um “protesto” de dois cadeirantes, que bloquearam a ciclofaixa para chamar a atenção para a falta de acessibilidade de vários locais do bairro. O prefeito repassou a bronca para sua equipe e prometeu ampliar ações rápidas de adequação da região.

Fonte: O POVO Online