Redes sociais ajudam na conscientização sobre coronavírus

A internet tem sido um veículo de informação e desinformação quando se trata da atual epidemia de coronavírus, que já infectou mais de 80 mil pessoas e levou à morte quase 3 mil nos últimos meses. Notícias falsas, supostos métodos de prevenção que não funcionam e por vezes podem criar mais perigos, e mesmo promessas de cura são alguns dos perigos que todos devem ficar atentos.

Para combater a desinformação é importante, então, pesquisar em locais confiáveis, com informação de qualidade e embasamento. Nas redes sociais, cientistas, órgãos oficiais, profissionais de saúde e veículos de comunicação trazem conhecimentos verificados e seguros.

Na página do O POVO no Instagram, por exemplo, há informações sobre como se prevenir do contágio e o que fazer se você suspeitar que está com a infecção.

O biólogo Atila Iamarino, conhecido por seus vídeos sobre ciência, realizou uma série de publicações a respeito do que esperar com o avanço da epidemia, e quais os protocolos de segurança adotados.

O Ministério da Saúde, por sua vez, tem publicado atualizações sobre casos suspeitos, descartados e confirmados.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), entidade internacional, também atua com informações, em inglês, sobre prevenção de contágio

FONTE: O POVO ONLINE