WhatsApp limita reenvio de mensagens após linchamentos na Índia

Mudança é parte de esforços para conter a disseminação de informações falsas. No país asiático, 20 pessoas foram mortas por linchamento após serem vítimas de boatos espalhados na rede social.O WhatsApp anunciou nesta quinta-feira (19/07) que vai limitar drasticamente o reenvio de mensagens na rede social. Usuários poderão reenviar uma mensagem a no máximo 20 pessoas ou grupos. Na Índia, o limite será cinco. O limite atual, em todo o mundo, é 250.

A decisão é uma resposta aos linchamentos que ocorreram na Índia e foram causados por mensagens falsas e de conteúdo provocativo. A Índia é o maior mercado da empresa de propriedade do Facebook, com mais de 200 milhões de usuários.

Na Índia, onde, segundo o WhatsApp, as pessoas enviam mais mensagem, fotos e vídeos do que em qualquer outro país, também será removido o botão de reenvio rápido de mensagens multimídia.

Mais de 20 pessoas foram mortas por multidões enfurecidas nos últimos dois meses na Índia, após boatos espalhados sobre supostos sequestradores de crianças, ladrões e predadores sexuais. Os ataques ocorreram em ao menos 11 estados e deixaram também dezenas de feridos.

A mudança é o mais recente passo do WhatsApp para tentar conter a disseminação de conteúdo falso. Em 10 de julho, a empresa havia anunciado que iniciou a introdução de um sistema que diferencia as mensagens encaminhadas das que foram escritas para o destinatário.

O WhatsApp também investiu em anúncios de página inteira em jornais indianos para alertar o público sobre a disseminação de informações falsas.

“Acreditamos que essas mudanças – que continuaremos a avaliar – ajudarão a manter o WhatsApp da maneira que foi projetado: um aplicativo de mensagens privadas”, afirmou a empresa.

—————-

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram

DW Brasil – O POVO Online